Suspiros

on sábado, 19 de janeiro de 2013

Ah, a paixão!
Faz-nos ver o invisível, mesmo quando ficamos “cegos de amor”.
Faz-nos colorir a vida, mesmo quando o mundo furta a cor.
Faz-nos pensar o absurdo, mesmo quando absurdo o xador.
Faz-nos planejar o futuro, mesmo quando o futuro acabou.

Ah, e o amor?!
Faz-nos amar sem limites, mesmo quando há limite e pudor.
Faz-nos navegar no infinito, mesmo quando é finita a dor.
Faz-nos falar o incerto, mesmo quando é certa a flor.
Faz-nos perdoar o evadido, mesmo quando se evade nosso amor.


3 comentários:

Ester disse...

Do arrebatamento da paixão a solidez do amor. Suspiros vorazes por vezes tentadoramente nos titubeiam. Mas o refugio é sempre o solido. Qual graça a vida teria sem essas inconstâncias?
Estou voltando p o amor q encontro em seus textos. obrigada por esporem seus sentimentos de modo tao liberal. Adorei. Ester

Bob Ru disse...

Paixão versus Amor. Só quem já os vivenciou pode falar com propriedade sobre o assunto. Você, meu caro, em poucos versos, disso tudo xD Abraço!

Sarah Vasconcelos Mousinho de Oliveira disse...

Gostei muito. Adoro paradoxos, eles me fazem ler, reler e refletir. E o melhor, pude me encontrar em seus versos. Parabéns, exímio poeta.

Postar um comentário